Crédito: Agência Brasil

No Dia Mundial do Diabetes, campanha projeta histórias de pacientes em prédio

Relatos fotográficos pessoais buscam alertar população sobre riscos cardiovasculares associados ao diabetes.

No Dia Mundial do Diabetes, nada melhor do que empatia e muita informação para unir os milhões de brasileiros que têm a doença. Pensando nisso, a Novo Nordisk — empresa de saúde dedicada a promover mudanças para vencer o diabetes e outras doenças crônicas graves —, em parceria com a ADJ Diabetes Brasil, vai expor, neste sábado (14), um vídeo com histórias de pacientes do diabetes tipo 2 projetadas em um prédio na esquina entre as avenidas Paulista e Consolação, em São Paulo.

As imagens da projeção são resultado da campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração”, que busca sensibilizar a população sobre os riscos cardiovasculares associados ao diabetes tipo 2. Os relatos, expressos em fotos particulares e emotivas, trazem pessoas usando objetos de valor sentimental para ilustrar o quão perigosa é a associação do diabetes às cardiopatias.

O objetivo da iniciativa é mudar uma triste estatística: nove em cada dez pacientes que têm diabetes alega sentir falta de mais informações sobre os riscos cardiovasculares da doença.

Raquel Cristina Coelho, gerente médica da Novo Nordisk, destaca que o intuito da parceria entre a Novo Nordisk e a ADJ é mudar o preocupante cenário de desinformação. “Ambas as instituições atuam na causa do diabetes. Então, quando elas unem forças é para tentar beneficiar as pessoas que têm diabetes e que estão sob risco de desenvolver problemas do coração e que precisam que essa informação chegue até elas.”

Alcance

Para tentar atingir o maior número de pessoas, o material da ação também será lançado nos canais da ADJ Diabetes Brasil e da campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração”, no YouTube. Ao mesmo tempo, uma exposição digital com os depoimentos e registros fotográficos dos participantes vai estar no site da campanha, o www.quemvediabetesvecoracao.com.br.

Todo o esforço para dar publicidade aos problemas cardiovasculares associados ao diabetes se explica, também, pelo impacto na saúde dos brasileiros. Por muito tempo, o diabetes esteve mais associado à cegueira, amputação ou doenças renais, explica Raquel. No entanto, apesar de graves, nenhuma dessas doenças mata tanto quanto outros problemas, como o infarto cardíaco e o derrame, por exemplo, que são responsáveis por 80% das mortes relacionadas ao diabetes tipo 2.

Ambos são consequências graves da aterosclerose, outra vilã desconhecida. Recentemente, o CAPTURE, levantamento global que analisou a prevalência, percepção e o tratamento dos fatores de risco cardiovasculares no diabetes tipo 2, apontou que uma em cada três pessoas com diabetes tipo 2 tem doenças cardiovasculares.

Dessas, 9 em cada 10 apresentam aterosclerose, doença cardiovascular que consiste na formação de placas de gordura e outras substâncias nas paredes das artérias.

Silencioso, o diabetes tipo 2 passa despercebido por boa parte dos pacientes. É justamente aí que mora o perigo, explica Raquel Cristina Coelho. “A pessoa com diabetes pode vir sem sintomas, e já manifestar como primeiro sintoma uma doença cardiovascular, inclusive grave, um infarto, um derrame ou até mesmo a morte súbita”, alerta.

Quem Vê Diabetes Vê Coração

A campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração” é uma iniciativa da Novo Nordisk em parceria com sociedades médicas e associações de pacientes com diabetes de todo o país. A ADJ Diabetes Brasil, entidade cujo objetivo é promover educação no campo do diabetes para pessoas com diabetes, familiares, profissionais de saúde e comunidade, é uma das parceiras do projeto, lançado em junho 2019.

 

Felipe Moura