Organização Pan-Americana de Saúde avalia que deficiência na infraestrutura das estradas é fator relevante na ocorrência de acidentes - Foto: Flávia Bernardo/ALMG

Fiscalização de estradas pauta audiência na ALMG

Organização Pan-Americana de Saúde avalia que deficiência na infraestrutura das estradas é fator relevante na ocorrência de acidentes – Foto: Flávia Bernardo/ALMG

Deputados ainda vão debater a importância de operações para a conscientização de motoristas e a prevenção de acidentes.

Segundo o Sistema de Internação Hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS), em Minas Gerais, na década 2010-2020, os acidentes causados por transportes terrestres representaram cerca de 15% das internações. Esse percentual equivale a mais de 190 mil pessoas. Apenas em 2019 foram mais de 3 mil mortos nesse tipo de ocorrência no Estado.

Diante dessa realidade, a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) vai debater, em audiência pública, a fiscalização de rodovias federais e estaduais que cortam Minas Gerais. Requerida pelos deputados Sargento Rodrigues (PTB), João Leite (PSDB) e Gustavo Santana (PL), a reunião será na quarta-feira (9/12/20), às 9h30, no Auditório José Alencar, no andar térreo da Casa.

O deputado João Leite cita a discrepância entre o percentual dessas ocorrências e a evolução dos investimentos. “O crescimento do número de acidentes na BR-040, por exemplo, está numa ascendente maior do que os investimentos públicos e privados que deveriam estar ocorrendo para evitar mortes, sequelas graves, perdas de cargas. Este é um tema que precisa do constante acompanhamento dos deputados, fiscalizando a aplicação desses recursos, especialmente quando se aproxima o período das comemorações de fim de ano”, alerta o parlamentar.

Também estará em pauta a importância da realização de operações de conscientização de motoristas e de prevenção de acidentes.

Essa campanhas visam alertar os motoristas sobre atitudes que podem colaborar para reduzir os desastres nas estradas. Afinal, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), das causas desse tipo de ocorrência, diversas são decorrentes de comportamento humano.

Entre estas, a organização lista: direção sob efeito de bebidas alcóolicas e outras substâncias entorpecentes, excesso de velocidade, falta de uso de equipamentos de segurança (principalmente cinto de segurança e capacete) e manutenção inadequada dos veículos.

Além da ação dos motoristas, a Opas também registra a deficiência na infraestrutura viária como fator relevante a ser considerado.

Veja também

Ônibus com 40 passageiros cai da ponte; vídeo

Agostinho Patrus é reconduzido à presidência da ALMG