Romeu Zema participa de homenagem às vítimas de Brumadinho

Rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão completa dois anos nesta segunda-feira (25/1).

Fotos: Gil Leonardi/ImprensaMG

As 272 vidas perdidas no rompimento da barragem Córrego do Feijão, da mineradora Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram homenageadas nesta segunda-feira (25/1), data que marca os dois anos da tragédia.

Durante a cerimônia, que contou com uma chuva de pétalas e cruzes simbólicas representando as joias – como os familiares se referem aos entes perdidos -, o governador Romeu Zema reafirmou o esforço do Governo do Estado para resgatar todas as vítimas da tragédia. A operação de busca e salvamento em Brumadinho é a maior já realizada no Brasil e na América Latina. Os militares do Corpo de Bombeiros de Minas seguem incansáveis atuando na região.

“Compreendo a dor que os familiares sentem, principalmente os familiares das 11 joias que ainda não foram encontradas. Fica aqui o compromisso, que eu e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Edgard Estevo, fizemos perante as famílias, perante a Avabrum (Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão), de continuarmos com as buscas. É um direito das famílias terem seus entes de volta. E nós levaremos esse trabalho adiante enquanto for necessário”, afirmou.

Ao todo, foram encontradas e identificadas 259 pessoas, mas ainda há 11 joias não localizadas. Os familiares, porém, contam como 272 vítimas, pois duas mulheres que perderam a vida na tragédia estavam grávidas.Compromisso

O governador também destacou o compromisso do Poder Público de garantir que uma tragédia como essa jamais ocorra novamente em Minas Gerais.

“Aprovamos a Lei Mar de Lama Nunca Mais, para que esse tipo de tragédia não ocorra mais, que esta seja a última vez que tantas pessoas sofram por causa da mineração. Junto com as instituições, temos tentado fazer o melhor pela cidade, pelos atingidos, pelo Estado. Estamos exigindo o ressarcimento devido e necessário”, reforçou.

Homenagem

Durante a solenidade, Jojo Rezende, que perdeu a irmã e o cunhado soterrados, fez uma homenagem ao Corpo de Bombeiros. O casal deixou dois filhos, gêmeos, que tinham 10 meses à época da tragédia.

“Estamos aqui vivenciando e fazendo parte da história da maior operação de busca e resgate já empregada no mundo, com a missão de dar alento aos familiares das vítimas. Não desistiremos até que todas as joias sejam encontradas”, disse Jojo, que é vice-presidente da Avabrum.

Ao final, ela agradeceu imensamente o trabalho desempenhado pela corporação.

“Hoje, 11 famílias esperam e rezam para que o dia de finalmente encontrar sua joia esteja próximo. Seguimos com fé que todos serão encontrados, confiando no que os Bombeiros nos ensinaram: desistir não é uma opção”, afirmou.

Também participaram da solenidade o deputado estadual Noraldino Junior, representando a Assembleia Legislativa, secretários de Estado, representantes de Poderes, das Forças de Segurança Pública de Minas, instituições e entidades públicas e familiares das vítimas.

Operação

Até o momento, um total de 3.854 militares do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, além de 260 oficiais de outros 16 estados e de Israel, passaram pela operação de Brumadinho. Foram empregados 68 cães foram e 31 aeronaves atuaram na operação, totalizando mais de 1.600 horas de voo.

O comandante das operações do Corpo de Bombeiros em Brumadinho, coronel Alexandre Gomes Rodrigues, afirmou que a corporação está construindo estratégias para reduzir o tempo de busca das vítimas que ainda faltam ser encontradas.

“Continuamos trabalhando com afinco, muita resiliência e empatia em relação aos familiares. Os trabalhos continuam e estamos adaptando a cada período do ano as nossas estratégias para oferecer um serviço melhor e mais eficiente, diminuindo as possibilidades de erro na tentativa e na esperança de encontrarmos as 11 vítimas ainda que restam, encerrando esta ação com a entrega dos entes queridos aos familiares”, afirmou o coronel Alexandre.

O Corpo de Bombeiros esteve presente desde o primeiro momento em Brumadinho e a operação de busca das 11 joias restantes não cessará até que elas sejam encontradas.

Reparações

Desde o primeiro momento após a tragédia, o governador Romeu Zema determinou empenho total do Estado para resgatar vítimas e amenizar o sofrimento de suas famílias. O Governo teve uma atuação destacada do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia Civil e outros órgãos do Estado.

No mesmo dia do rompimento, o Estado ingressou com ação pedindo o bloqueio de R$ 1 bilhão em contas da Vale para garantir reparações futuras. Posteriormente, mais recursos foram bloqueados, após ações do Ministério Público Estadual.

Veja também

ALMG: Nota de pesar por dois anos da tragédia de Brumadinho