Minas investiga 20 casos de fura-filas da vacinação

Minas Gerais registrou, até agora, por meio da Ouvidoria-Geral do Estado, 20 denúncias relacionadas a fura-filas da vacinação – ao todo, são 47 denúncias de irregularidades.

Já a ouvidoria do Ministério Público de Minas Gerais recebeu, no total, 22 denúncias em pelos menos 13 cidades. As reclamações envolvem instituições da rede particular e filantrópicas, além das secretarias municipais de Saúde de BH e do interior.

Na capital, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindibel) reclama de falta de transparência nos critérios de vacinação. “Nem todo mundo nos hospitais estão na linha de frente, tem gente do administrativo, de estética, recebendo vacina. As coisas estão sendo feitas no improviso e sem critérios”, relatou o presidente da entidade, Israel Arimar.

Outro lado
De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, a maioria das instituições incluídas nesta primeira fase conta com leitos de internação para atendimento a pacientes com a Covid-19, além de outras doenças. “Estes trabalhadores estão mais expostos ao vírus e por este motivo estão sendo priorizados”, informou em nota.