Governo faz coletiva sobre o Rodoanel Metropolitano

Projeto está em fase de Consulta Pública até 22 de março. Obras deverão ser iniciadas em 2023.

Crédito: Freepik/ilustração

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) concedeu, nesta terça-feira (9/2), na Cidade Administrativa, entrevista coletiva sobre o projeto do Rodoanel Metropolitano. O objetivo do encontro foi solucionar dúvidas sobre as etapas que serão cumpridas até o início efetivo das obras.

Atualmente, o projeto encontra-se em fase de Consulta Pública (https://bit.ly/3tGljK7). Assim, ao longo de 45 dias, serão promovidas Audiências Públicas para esclarecimentos sobre o projeto e oitiva da população. Devido à pandemia, as sessões serão virtuais e integralmente acessíveis ao público por meio de links a serem disponibilizados nos canais de comunicação da Seinfra e no Diário do Estado.

“Garantir total transparência ao processo e receber a contribuição da sociedade são passos importantes para um projeto dessa magnitude. O Rodoanel Metropolitano irá beneficiar milhares de mineiros e, para isso, é essencial a participação de todos”, destacou o secretário da Seinfra, Fernando Marcato, durante a coletiva.

Prazos

O secretário esclareceu, também, que o projeto ainda precisa cumprir diversas etapas até a licitação e o início das obras, que estão previstas para 2023.

O edital para Concorrência Pública deverá ser lançado até julho. Em seguida, a licitação será concretizada na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) e, até novembro, a pasta espera que o contrato seja assinado.

Serão necessários, ainda, a desapropriação de áreas específicas em municípios da Grande BH e, também, o cumprimento da etapa de licenciamento ambiental.

Benefícios

Durante a coletiva – que pode ser acessada na íntegra no canal da Seinfra no YouTube (https://youtu.be/IUq6lnDYSDU) -, Marcato ainda falou sobre os inúmeros benefícios da obra para a Região Metropolitana de Belo Horizonte.

No campo da saúde, a redução de custos causados por acidentes fatais será de mais de R$ 474 milhões ao longo do prazo de concessão.

Na mobilidade urbana, a diminuição média do tempo de deslocamento, com a nova rodovia, será de 30 a 50 minutos, até mesmo para veículos de carga.

Os ganhos ambientais também serão expressivos. A queda nas emissões de CO2 será de quase 10% no mesmo período. Da mesma forma, a expectativa é a de que a redução no custo do transporte gere aumento de competitividade e impulsione a economia.

Veja também

MG: Governo lança consulta pública sobre Rodoanel de BH