Vetão cumpre agenda em Catas Altas

Acom/CMI

Vetão busca estreitar os laços com vereadores de Catas Altas (MG). O Presidente da Câmara de Itabira visitou também o Conselho Tutelar da cidade.

Acom/CMI

Na semana passada, o presidente da Câmara Municipal de Itabira, Weverton Leandro Santos Andrade “Vetão” (PSB), cumpriu agenda externa em Catas Altas. Em uma visita de cortesia, previamente agendada, o itabirano se reuniu com o presidente do Legislativo da cidade vizinha, Edvane Gonçalves Machado (DEM). Vetão também esteve com os conselheiros tutelares do município.A história de Catas Altas, assim como de diversas cidades mineiras, está relacionada com o ciclo da mineração no século XVIII. Com o esgotamento das minas o arraial ficou praticamente abandonado. Entre 1839 e 1995, Catas Altas pertenceu ao município de Santa Bárbara, emancipando-se em dezembro de 1995. Hoje, a pacata cidade tem pouco mais de cinco mil habitantes, e receita prevista de R$ 62 milhões para 2021.

“Tive uma recepção calorosa na vizinha Catas Altas. Cidade acolhedora, belíssima, pujante no turismo e historicidade. Na Câmara, os vereadores de Catas Altas assim como os de Itabira, vivem com os reflexos da mineração”, destacou Vetão.

“É com muito respeito e admiração que recebi o presidente da Câmara de Itabira, Weverton Vetão. Pretendemos estreitar as relações entre as duas cidades. Ambas possuem vínculos com a mineração, nossa maior receita. Tenho certeza que vamos desfrutar de bons frutos”, ponderou Edvane Machado.

Conselho Tutelar

Vetão foi eleito duas vezes conselheiro tutelar em Itabira. Assumiu, em 2013, como o conselheiro tutelar mais novo da história do município. Em 2016, foi reconduzido ao cargo com votação expressiva e escolhido para ser o presidente da entidade. “A prosa  com os conselheiros tutelares reforçou a luta universal pelos direitos de nossas crianças e adolescentes”, afirmou.

Diego Augusto de Paulo Costa, conselheiro tutelar em Catas Altas há sete anos, ressaltou a importância da troca de experiências. “Esse diálogo com as cidades vizinhas nos permite fazer parcerias para capacitar os membros do conselho, estruturar o nosso local e ferramentas de trabalho, além de ampliar a visão. Ao trocar experiências com alguém de uma cidade maior e que enfrenta, talvez, outros problemas, isso colabora para que possamos solucionar nossos desafios”, ponderou o catas-altense.