Acom/PMI

CMEI do Boa Esperança será entregue em novembro

Anúncios

CMEI do Boa Esperança será entregue à população em novembro. Durante visita ao local, o prefeito Marco Antônio Lage junto com o secretário de Obras informou que a escola estará pronta em até seis meses.

Acom/PMI

Nesta quinta-feira (13), o prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage, esteve no bairro Boa Esperança para visitar a obra do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), abandonada desde 2015. A obra foi retomada e será entregue aos moradores em um prazo de até seis meses, de acordo com o secretário municipal de Obras, Transporte e Trânsito, Maciel Paiva, que também participou da visita. No entanto, há uma expectativa positiva para que a estrutura esteja pronta antes do prazo informado.“Nós assumimos o compromisso de governar nas comunidades. A decisão foi nossa de retomar as obras que estavam paradas há muito tempo para recuperarmos aquilo que já foi feito, mantendo o investimento público. No caso do CMEI, por exemplo, é uma necessidade uma vez que várias pessoas da comunidade não possuem um local adequado para as crianças estudarem e permanecerem em segurança neste período de formação durante a educação infantil”, disse Marco Antônio Lage.Ao ter a obra concluída, o CMEI Boa Esperança terá 1.433,76m² de área construída e vai receber crianças dos bairros Boa Esperança, Chapada e adjacências. Até o momento, o investimento foi de mais de R$ 1,5 milhão. Além da escola, outra demanda da comunidade é o descaso com o campo de futebol. No local, uma erosão, pondo em risco a segurança dos moradores, está consumindo o equipamento de esporte. Segundo a secretária de Esporte, Lazer e Juventude, Natalia Lacerda, que esteve no local junto com o prefeito, o campo já foi mapeado pela pasta e será uma das prioridades junto à secretaria de Obras.

Outra necessidade relatada pela comunidade é o risco iminente de acidentes na entrada do bairro, onde há fluxo intenso de veículos devido ao cruzamento com a MG-129. De acordo com os moradores, a preocupação é grande porque há casas próximas à rua de acesso ao bairro, que corta a rodovia. Segundo eles, na maioria das vezes, os motoristas que entram na comunidade não possuem visão de outros carros que estejam saindo do local, ocasionando diversos acidentes. A solução proposta pelo Governo Municipal para atender a população é a construção de um trevo para garantir a segurança dos moradores e motoristas, além de organizar o tráfego de acesso ao bairro. A recomendação será avaliada de acordo com o planejamento da Secretaria Municipal de Obras, Transporte e Trânsito (SMOTT).

Veja também

“Reintegração é sinônimo de vitória”, desabafa rondante