CPI define integrantes que vão investigar possíveis irregularidades na Cemig

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Cemig, que vai investigar possíveis irregularidades na gestão da companhia, definiu, nesta quinta-feira (24/06), os membros titulares e suplentes, que vão conduzir os trabalhos.

Agora, a comissão pode se reunir para eleger presidente, vice, escolher um relator e, em seguida, iniciar os trabalhos. O requerimento com pedido de abertura da CPI foi recebido em reunião no último dia 16 e a abertura do procedimento foi aprovada com 27 assinaturas.

Veja quem são os integrantes da CPI:

  • Bloco Minas São Muitas – Efetivos: Cássio Soares (PSD), Sávio Souza Cruz (MDB) e Hely Tarqüínio (PV). Suplentes: Rafael Martins (PSD), Sargento Rodrigues (PTB) e Arnaldo Silva (DEM).
  • Bloco Deputado Luiz Humberto Carneiro – Efetivos: Zé Guilherme (PP) e Zé Reis (Pode). Suplentes: Roberto Andrade (Avante) e Guilherme da Cunha (Novo).
  • Bloco Democracia e Luta – Efetivos: Professor Cleiton (PSB) e Beatriz Cerqueira (PT). Suplentes: Elismar Prado (Pros) e Cristiano Silveira (PT).

Um dos motivos para a abertura da comissão é a contratação de empresas de consultoria sem o devido processo de licitação. O atual presidente, Reynaldo Passanezi, contratou uma empresa de RH que foi responsável por sua própria seleção.

A CPI também vai investigar a transferência de atividades administrativas da empresa para São Paulo e alienação de ativos e venda de sua participação societária na Renova, na Light e na Taesa.

Para os parlamentares da oposição, a Cemig está sendo “sucateada”. Nós temos provas de grande materialidade de que irregularidades, que estão sendo investigadas pelo Ministério Público, precisavam também ser investigadas por essa Assembleia”, disse o deputado Professor Cleiton (PSB).

Já para Gustavo Valadares, líder do governo na Casa, as condutas do governo têm “a transparência e seriedade na conduta como dois dos seus mais fortes pilares”.

VEJA Também:

Assembleia terá CPI para investigar possíveis ‘ilegalidades’ na Cemig