Câncer de Mama: prevenção é a maior arma das mulheres

A prevenção é a maior arma das mulheres contra o Câncer de Mama
Segundo dados do Ministério da Saúde, disponíveis na plataforma Radar do Câncer, nos últimos três anos, mais da metade das mulheres que procuraram de maneira tardia o Sistema Único de Saúde (SUS) para tratar o câncer de mama — ou seja, com a doença já em estágio avançado.

Além disso, o Ministério da Saúde estima que haja 73 mil novos casos de câncer de mama no Brasil somente em 2023. A doença é a primeira causa de morte por câncer em mulheres no País, apesar de, em 95% dos casos, ser uma doença que tem cura. Mas, para isso, é necessário detectar o nódulo em sua fase inicial.

Foto: Arquivo/Pessoal

Dessa forma, é preciso que as mulheres façam o autoexame e estejam dispostas a mudarem seus hábitos de vida. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda o exame de mamografia anual a partir dos 40 anos. Mas é necessário investigar desde a primeira queixa da paciente, que pode ocorrer bem antes, pois já existem estudos que mostram que a doença está se manifestando com frequência em mulheres abaixo dos 40 anos.

Em entrevista, o mastologista do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), dr. Danilo Costa, fala sobre a doença, prevenção e a importância do diagnóstico precoce para o tratamento. De acordo com o especialista, o câncer de mama é uma alteração no DNA da paciente, em que existe uma formação defeituosa de células e a sua multiplicação desordenada, com alteração da função das células mamárias e de outras células vizinhas.

Quais as principais causas do câncer de mama?
Os fatores genéticos, pois eles determinam uma alteração genética que a paciente já tem, uma alteração na sequência de aminoácidos no seu DNA, um defeito naquela sequência que a pessoa tem ali guardadinho e tem fatores que predispõe o desenvolvimento do câncer de mama.

Os fatores considerados de risco são:
• Sedentarismo;
• Obesidade;
• Exagero no uso de alimentos de origem animal;
• Alimentação pobre em nutrientes;
• Stress;
• Doenças psicossomáticas;

Há um momento mais adequado para que a mulher faça o autoexame?

O autoexame precisa ser feito entre o 7º e o 14º dia do ciclo menstrual, porque é onde a mama está um pouco mais flácida, mais macia, para que você faça a identificação das alterações e não, por exemplo, de forma aleatória no meio do ciclo menstrual, onde a mama está mais inchada.

Quando estiver fazendo o autoexame, o que a mulher deve observar?
A mulher vai notar se existem nodulações ou espessamentos da mama. A sensação pode ser descrita como se você tivesse uma bola de gude ou uma azeitona que vai para um lado e para o outro.

A textura normalmente é fibroelastica, você consegue apertar e ela se deprime. Essa é esperada em casos benignos. Quando você tem um espessamento, você tem algo endurecido, mal delimitado, que é um pouco mais fixo aos planos inferiores, aí realmente causa uma preocupação. Quando você tem essa lesão bem delimitada, pode ser inclusive cisto mamário.

Assim, o médico Danilo Costa reforça que a prevenção é o meio mais eficiente de combate ao câncer.