LUTO de 3 dias, pela morte do ex-governador de Minas, Alberto Pinto

Anúncios

Aos 78 anos morreu o ex-governador de Minas gerais, Alberto Pinto Coelho que chefiou o poder Executivo de Minas Gerais, entre abril e dezembro de 2014. Ele ocupou o posto em virtude da renúncia de Antônio Anastasia, de quem era vice-governador. Anastasia deixou o cargo para concorrer a uma vaga no Senado.

O ex-governador mineiro passou por PP e PPS — hoje batizado de Cidadania. Com mais de 30 anos de vida política, Alberto atuou, também, como deputado estadual por quatro legislaturas. A sua primeira eleição aconteceu em 1994. Alberto Pinto Coelho enfrentava uma leucemia. Ele deixa quatro filhos. Um deles, Betinho Pinto Coelho, exerce mandato na Assembleia Legislativa pelo Partido Verde (PV).

Minas decreta luto oficial de três dias pela morte do ex-governador Alberto Pinto Coelho

Ao longo de 25 anos de política, ele exerceu quatro mandatos como deputado estadual e foi chefe do Executivo mineiro em 2014.

O governador Romeu Zema lamenta profundamente a morte do ex-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, aos 78 anos, nesta segunda-feira (20/11). O governador decretou luto oficial de três dias.

Um dos políticos mais expressivos do estado, dotado de hábil característica conciliatória reconhecida amplamente entre seus pares, Alberto Pinto Coelho deixa quatro filhos, netos e a esposa, Célia Pinto Coelho.

“É uma grande perda para a política de Minas. Alberto foi um dos políticos mais versáteis do estado. Muito gentil, mantinha habilidade incomum para atingir o consenso, sempre disposto a ouvir o próximo, um traço essencial para quem chefiou o Legislativo e o Executivo. Minas perde com sua ausência, mas sempre terá o legado de um homem que dedicou a vida aos mineiros”, disse o governador.

Nascido em 1945, em Rio Verde (GO), mas criado desde os 3 anos em Manhuaçu, na Zona da Mata, Alberto Pinto Coelho é considerado mineiro de coração. É filho de dona Abigail, pedagoga de formação, e de Alberto Pinto Coelho pai, ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), de quem herdou o talento para a vida pública.

Ao longo de 25 anos de política, exerceu quatro mandatos como deputado estadual. Chegou à presidência da Assembleia Legislativa em 2007 e foi reeleito para o cargo em 2009, tendo assumido também a presidência do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativa do País.

Alberto Pinto Coelho também atuou como líder dos governos Itamar Franco (1999-2003) e Aécio Neves (2003-2010). Em 2014, o então vice-governador do Estado, eleito em 2010 na chapa de Antonio Anastasia, assumiu como governador pelo período de nove meses, após a saída de Anastasia para a campanha eleitoral.

Entre as suas principais realizações no Legislativo mineiro estão a criação da Política Estadual de Resíduos Sólidos e o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Comércio Exterior do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Pró-Confins).

Formado em administração de empresas, Alberto Pinto Coelho também atuou no setor de telecomunicações, tendo sido representante do Ministério das Comunicações em Minas Gerais, e exercido cargos de diretoria nas áreas de gestão administrativa.