PCMG concluiu que não houve crime em morte de paciente de cirurgia

PCMG/Divulgação

PCMG concluiu que não houve crime em morte de paciente de cirurgia

PCMG/Divulgação

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), após diversos levantamentos investigativos, concluiu que a mulher, de 28 anos, que morreu após submeter-se a cirurgia plástica, no dia 29 de maio deste ano, em um hospital localizado na região de Venda Nova, em Belo Horizonte, não foi vítima de imperícia, imprudência ou negligência por parte da equipe médica.

A PCMG, por meio da 2ª Delegacia de Polícia Civil Venda Nova, unidade responsável pela investigação, reuniu diversas informações, como laudos periciais e entrevistas com a equipe médica, enfermeiros e familiares da vítima.

Além disso, foi constatada a devida capacitação do médico para realização dos procedimentos cirúrgicos e, em razão de não haver indícios de causa da morte por negligência, imprudência ou imperícia.

Assim, nesta segunda-feira (8/7), a Polícia Civil concluiu a investigação, indicando pelo arquivamento das apurações, com encaminhamento dos autos ao Poder Judiciário.

Veja também

Preso por armazenar conteúdo pornográfico infantojuvenil

Foragido da Justiça é preso com drogas em Bela Vista de Minas

Blindagem de material radioativo furtado em SP é localizada

Calendário de exigência do CRLV e mutirão para auxiliar na regularização do licenciamento